Espólio de Michael Jackson fecha negócio com empresa de refrigerante

Do UOL, no Rio

  • Stefan Wermuth/Reuters

    Michael Jackson, cantor

    Michael Jackson, cantor

O espólio de Michael Jackson fechou um novo negócio com a empresa de refrigerante Pepsi, segundo o site de celebridades TMZ.  Em 1984, o cantor participou de um comercial, que muitos dizem que foi “um pacto com o diabo”.

Enquanto filmava a propaganda, o cabelo de Michael Jackson pegou fogo durante um acidente pirotécnico. O acidente provocou queimaduras graves no couro cabeludo do cantor e também o levou a se tornar um viciado em drogas de prescrição. O vício o levou a se tratar com o doutor Conrad Murray.

Segundo o TMZ, o espólio de Michael Jackson acredita que a Pepsi é a empresa certa para unir forças por uma série de razões. Primeiro porque o próprio Michael trabalhou com a empresa duas vezes, após o incidente, em 1988 e novamente em 1991.  

Um porta-voz do espólio disse: "Estamos aqui para comercializar o relançamento do álbum" Bad "e Pepsi é o lugar mais eficaz de fazê-lo".

Muitas pessoas, contudo, culpam a filmagem da Pepsi por colocar Michael Jackson em um caminho de auto-destruição - incluindo um dos ex-agentes do cantor, Frank Cascio, que disse que Michael foi introduzido ao Demerol (a heroína como opióide) logo após o acidente para ajudar a lidar com a dor.

A promoção de Jackson com a Pepsi vai variar de país para país - mas irá incluir um comercial de TV, latas em uma edição especial com a imagem de Jackson, e as chances de ganhar remixes para download de músicas do cantor.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos