UOL Entretenimento Celebridades

04/09/2007 - 15h37

Marcella Valente, atriz de "Eterna Magia", mantém a forma com o equilibrado pilates

do PopTevê

Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias

Marcella Valente pratica pilates

Marcella Valente pratica pilates

Academia normalmente é sinônimo de muito suor e exercícios extenuantes. Mas a atriz Marcella Valente, que vive a espevitada Joyce em "Eterna Magia", descobriu que essa máxima nem sempre é verdade quando o pilates entrou na sua vida. "É muito gostoso de fazer. Requer concentração, tem todo um clima. Não é só um exercício", garante.

A técnica deve o nome ao seu inventor, o alemão Joseph Hubertus Pilates. Há mais de 80 anos, ele desenvolveu o sistema de exercícios que ganhou fama ao recuperar soldados e atletas lesionados enquanto estavam de cama no hospital. "É ótimo para problemas de joelho e de coluna, como hérnia e escoliose", explica a professora Carol Alencar.

E foi justamente a escoliose -um desvio na coluna vertebral- que levou Marcella ao pilates. Até então adepta apenas de corrida e musculação, ela aceitou a sugestão de um amigo. "A vantagem é que, além de uma boa forma física, os movimentos ajudam na concentração", explica.

Durante a aula, Marcella fez questão de passar por todos os aparelhos. "Está sendo ótimo, porque ainda não tinha conseguido malhar hoje", brinca. Enquanto orienta a jovem, Carol explica que uma das diferenças do pilates é a grande variedade de treinamentos. "Cada aparelho permite diversas combinações. Depende da criatividade do professor", assegura.

Mas os interessados em ganhar um corpo "sarado" não devem se animar muito. Com influências da ioga, da meditação e de mecânica corporal, as atividades não garantem nem perda de peso, nem ganho de músculos. "O que acontece é um fortalecimento. Não adianta procurar o pilates para ficar fortão", adverte a professora.

Mesmo assim, os benefícios são muitos. Como os movimentos dependem de equilíbrio e sustentação, o pilates contribui também para aumentar a concentração. "Totalmente diferente da musculação, em que você faz o exercício pensando em outras coisas", compara Marcella.

Curitibana de nascimento, ela vive no Rio desde os 9 anos. Foi mais ou menos nessa época que surgiu o interesse pela atuação. "Eu era aquela criança chata que fazia ceninha para a família no almoço de domingo", diverte-se.

A primeira aparição na TV aconteceu em 1994, quando participou da versão mirim do humorístico "Escolinha do Professor Raimundo". Só que a mãe de Marcella resolveu dar uma freada no afã da menina. "Ela explicou que queria que eu passasse por todas as fases da vida. E se, depois de crescida, eu quisesse mesmo ser atriz, que eu estudasse", recorda.

E lá se foi mais de uma década até que, já com registro no bolso, ela ressurgiu no vídeo como a atormentada Cris, personagem que deu o ar da graça na reta final de "Belíssima". Hoje, ela vive o oposto, como a "capirinha" que amoleceu o coração de Loreta, personagem de Irene Ravache. "A espontaneidade da Joyce, que diz o que pensa e não tem malícia, quebrou as barreiras da Loreta. Ela viu que poderia ser amada de verdade por alguém", define.

De volta ao pilates, a curitibana não pensa duas vezes antes de responder qual o exercício lhe dá mais satisfação. "O que mais gosto é quando acaba!", entrega, às gargalhadas. Afinal, para agüentar o ritmo intenso das gravações de "Eterna Magia", que tem enfrentado alguns problemas de cronograma, nada melhor que aproveitar os momentos na academia para relaxar. "Deito naquela bola grande e faço todos os movimentos do alongamento final. É fantástico!", diz a preguiçosa.

(por Louise Araujo)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host