"Os cantores românticos estão acabando", diz Agnaldo Timóteo no velório de Wando

Rayder Bragon
Do UOL, em Belo Horizonte (MG)

O cantor e vereador de São Paulo, Agnaldo Timóteo – que compareceu na manhã desta quinta-feira (9) ao velório de Wando, no cemitério Bosque da Esperança, em Belo Horizonte – disse que o cantor será lembrado pela irreverência, simplicidade e simpatia.

Por jornalistas que estavam no local, Timóteo foi questionado por que Wando atraiu tantos fãs ao velório, apesar do estilo brega ser estigmatizado. "É melhor cantar músicas românticas, que tocam o sentimento do ser humano, do que cantar sucessos que não dizem nada, como 'Eguinha Pocotó'".

Timóteo ainda disse que a morte de Wando representa uma perda da identidade brasileira e um desfalque no time dos cantores românticos. "Nós, Aguinaldo Rayol, Moacyr Franco e Wando, somos cantores românticos e já estamos acabando".

O cantor afirmou que Wando também serve de exemplo para que as pessoas cuidem melhor da saúde. "Alguns de nós, e eu me incluo nisso, não se cuidam tão bem quanto deveriam".

Circunstâncias da morte
De acordo com Heberth Miotto, coordenador da UTI do Biocor, onde o cantor estava internado, Wando começou a apresentar queda de pressão por volta das 5h40 desta quarta. “Houve uma intervenção médica, sem sucesso, e às 6h40 foi confirmada a parada cardíaca”, explicou.

Em entrevista coletiva no início desta tade, o médico responsável por acompanhar a saúde do cantor reafirmou que Wando vinha apresentando uma melhora clínica muito boa durante a semana. “Mas houve uma piora cardiológica súbita. Apesar de todos os esforços, ele não respondeu às manobras de ressuscitação. Toda a equipe está muito triste e se solidarizando com a família”, afirmou.

Miotto acrescentou que, nesta semana, a equipe médica estava tentando tirar o aparelho respirador do cantor. “Na segunda-feira, ele ficou duas horas sem o respirador. Ontem foi um dia muito bom para ele, que chegou a se alimentar com duas colheres de iogurte. Foi repetido o eletrocardiograma, que demonstrou uma estabilidade. Estava tudo correndo muito bem”, disse, ressaltando no entanto que, por conta da gravidade da doença de Wando - que tem um grau de mortalidade de até 80% no mundo todo - "nunca seria possível  zerar" o risco de morte do cantor.

Wando estava internado desde o dia 27 de janeiro no Biocor Instituto, onde deu entrada após sofrer dores no peito. Em 28 de janeiro, ele foi submetido a uma angioplastia coronariana de emergência para desobstrução de artérias do coração.

No último dia 31, em conversa com jornalistas, a mulher do cantor afirmou que Wando não bebia nem fumava e mantinha os exames médicos em dia. “O Wando trabalha demais, não tem tempo para se exercitar, come errado e tem ainda o problema hereditário, porque o pai dele faleceu do coração”, afirmou a psicóloga Renata Costa Lana e Souza na ocasião.

Surpresa e homenagens
A notícia da morte de Wando também pegou de surpresa amigos e colegas do meio artístico que conviveram com o cantor. Jair Rodrigues, um dos responsáveis por fazer de Wando um cantor e compositor conhecido, contou por telefone ao UOL sobre a relação que tinha com o artista. "É muito triste acordar com essa notícia, mas quando chega a hora o homem lá em cima não falha", disse Jair. "Tempos atrás encontrei com ele e ele estava gordo, falei para ele cuidar da saúde", lembra.

Angela Maria, uma das primeiras cantoras a gravar uma composição de Wando, também se confessou surpresa. "Ninguém esperava que ele fizesse isso com a gente". Ela contou que conheceu Wando no início da carreira dele, "quando ele ainda usava black power". "Ele virou para mim e disse: 'Fiz uma música que é a sua cara'. Então gravei 'Vá, Mas Volte', grande sucesso". A artista afirmou que vai ser difícil alguém preencher a vaga de Wando. "Foi um grande artista para a música brasileira".

A rede social Twitter também foi usada por artistas e celebridades para manifestar solidariedade à família do cantor. ":(((( Meus sentimentos à família e amigos. Descanse em paz, Wando. :(", escreveu a cantora Mariana Belém. O ator José de Abreu lembrou do maior hit de Wando com a hashtag #meuiaiaimeuioio e acrescentou: "RIP Wando. O homem que elevou a calcinha a símbolo nacional."

Biografia
Antes de ser músico, o mineiro Wanderley Alves dos Reis foi entregador de leite, vendedor de jornal e feirante. Quando foi morar na cidade de Congonhas do Campo, em Minas Gerais, entrou para uma banda chamada Escaravalhos.

Já vivendo de música e compondo, Wando mudou-se para São Paulo, onde teve a chance de conhecer o músico Jair Rodrigues. Em 1971, Rodrigues gravou a composição de Wando "O Importante É Ser Fevereiro". "Trinta dias depois eu era sucesso nacional como compositor. Dois meses depois, eu era sucesso em todo o Carnaval. Foi uma música muito tocada no Carnaval. Além disso, eu recebi um monte de dinheiro. A primeira coisa que eu fiz foi comprar um Opala vermelho, e ainda não tinha carteira, hein", contou o cantor em um depoimento para seu site oficial.

O início da carreira foi pontuado pela gravação de sambas compostos por ele próprio e outros de compositores desconhecidos. No entanto, do segundo disco em diante, Wando fez uma opção clara pelo repertório romântico-brega, recheado de canções com conteúdo sensual e erótico. Um de seus maiores sucessos é “Fogo e Paixão”.

Seus discos têm títulos sugestivos como “Ui-Wando de Paixão”, “Vulgar” e “Comum É Não Morrer de Amor”, “Obsceno”, “Depois da Cama”, “Tenda dos Prazeres” e “Mulheres” – que lhe rendeu o título de cantor mais erótico do Brasil.

Os cenários de seus shows são, em geral, banheiras, camas e haréns. Wando também era conhecido por distribuir calcinhas perfumadas ao público feminino nas apresentações.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos